MMA

Os 10 melhores pôsteres do UFC

Um bom evento começa por um bom pôster para promovê-lo. 

Por isso, selecionamos para você alguns dos melhores pôsteres do UFC. Confira a lista!

#10 – UFC 161 (Evans vs Henderson)

ufc-161-rashad-evans-dan-henderson

UFC 161 – Evans vs Henderson

 

#9 – UFC 168 (Weidman vs Silva II)

ufc-168-chris-weidman-anderson-silva-2

UFC 168 – Weidman vs Silva II

 

#8 – UFC 144 (Edgar vs Henderson)

ufc-144-frankie-edgar-ben-henderson

UFC 144 (Edgar vs Henderson)

 

#7 – UFC 181 (Hendricks x Lawler II)

ufc-181-johny-hendricks-robbie-lawler

UFC 181 (Hendricks vs Lawler II)

 

#6 – UFC 170 (Rousey vs McMann)

ufc-170-ronda-rousey-sara-mcmann

UFC 170 – Rousey vs McMann

 

#5 – UFC 148 (Silva vs Sonnen II)

ufc-148-anderson-silva-chael-sonnen-2

UFC 148 – Silva vs Sonnen II

 

#4 – UFC Fight Night (Brown vs Silva)

ufc-fight-night-matt-brown-erick-silva

UFC Fight Night – Brown vs Silva

 

#3 – UFC 162 (Silva vs Weidman)

ufc-162-anderson-silva-chris-weidman

UFC 162 – Silva vs Weidman

 

#2 – UFC 179 (Aldo vs Mendes II)

ufc-179-jose-aldo-chad-mendes-2

UFC 179 – Aldo vs Mendes

 

#1 – UFC 166 (Velasquez vs Dos Santos III)

ufc-166-cain-velasquez-junior-cigano-dos-santos-3

UFC 166 – Velasquez vs Dos Santos III

 

E aí, curtiu a lista? Esquecemos de algum pôster?
Deixe sua opinião nos comentários! O seu feedback é essencial!
#RNGD

Autor: Lucas Rodrigues

 

Conheça Gian Galang, o artista que transforma astros do MMA em ilustrações

Se você é fã de MMA, com certeza já deve ter visto o trabalho de Gian Galang em algum lugar!

Dono de um estilo único, o artista que reside em Nova York é conhecido por suas impressionantes ilustrações, em sua maioria, de atletas de MMA. Dentre seus clientes, Galang já desenvolveu peças para empresas como Vice (Fightland), Nike e Reebok. Esta última lançou recentemente a camiseta oficial do UFC 208, desenvolvida pelo artista.

Montamos uma galeria para você conhecer o trabalho dessa fera! Confira!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Irado, não?

Acompanhe Gian Galang no Instagram e fique por dentro dos seus novos trabalhos!
Instagram – https://goo.gl/f7TKiC

Autor: Lucas Rodrigues

#RNGD

 

Tito Ortiz: O fim de uma era

No último sábado (21), foi escrito o último capítulo da história de Tito Ortiz dentro do MMA. O atleta se despediu do esporte derrotando Chael Sonnen por finalização no main event do Bellator 170.

Jacob Christopher Ortiz fez a sua estreia no MMA em 1997, quando ainda estava na faculdade, onde competia Wrestling. O evento em questão era o UFC 13, onde Tito competiu como amador e portanto não tinha direito a prêmios ou contratos. Após vencer Wes Albritton em apenas 31 segundos na primeira luta, Tito acabou sendo escolhido para substituir Enson Inoue, lesionado, na final dos meio-pesados contra Guy Mezger. Apesar de ter sido derrotado por Mezger, foi naquela noite que Ortiz se deu conta do que queria fazer pelo resto da vida.

ufc-13

Pôster do UFC 13 (1997)

Tito Ortiz se tornou campeão dos meio-pesados do UFC em 2000 após vencer Wanderlei Silva no UFC 25: Ultimate Japan 3 e assim se manteve até 2003. Com o recorde de 5 defesas de cinturão bem-sucedidas, Tito tornava-se o maior nome da companhia na época, feito superado somente 8 anos depois, quando o fenômeno Jon Jones alcançou a sua 6ª defesa de título na divisão em março de 2013

tito-ortiz-cinturao

Tito Ortiz e alguns de seus cinturões do UFC

As histórias do MMA moderno e do “Bad Boy de Hutington Beach” se confundem. Tito foi peça fundamental para a popularização do MMA. Seu modo de promover as lutas foi importante para que fossem mudadas as opiniões pública e dos meios de comunicação, que até então ainda marginalizavam a prática das artes marciais mistas. Com o tempo, essa mentalidade foi mudando e essas pessoas, que anteriormente condenavam o MMA, passaram a enxergar a modalidade como um entretenimento e, acima de tudo, como um esporte.

É inegável o fato de que Tito Ortiz, junto a outros grandes nomes da companhia na época, como Randy Couture e Chuck Liddell, foram os responsáveis por levar a marca UFC a outro patamar. Este último, inclusive, foi um personagem importante na vida de Ortiz.

tito-ortiz-randy-couture-chuck-liddell

Ortiz, Couture e Liddell nos bastidores do filme Contra o Tempo (2003)

Tito Ortiz e Chuck Liddell protagonizaram a que talvez seja a maior rivalidade do esporte. Os dois principais nomes da organização querendo matar um ao outro era o que o UFC precisava para promover a companhia. As provocações que ocorriam de forma incessante e o fato dos atletas já terem sido companheiros de treino no passado eram elementos que tornavam essa rixa entre os dois algo especial, atraindo a atenção de uma multidão de fãs e logo o UFC tratou de agir.

Os lutadores se enfrentaram pela primeira vez em 2004, no UFC 47. Dois anos depois, no UFC 66, Ortiz e Liddell não só promoveram uma luta de tirar o fôlego, como também quebraram todos os recordes de pay-per-view, fazendo com que este fosse o primeiro evento da franquia a atingir um milhões de pacotes vendidos. Tito Ortiz levou a pior em ambas, perdendo as duas lutas por nocaute. Uma terceira luta foi marcada para o UFC 115, mas Tito acabou se lesionando e dando lugar a Rich Franklin.

tito-ortiz-chuck-liddel

Tito Ortiz x Chuck Liddell: Uma rivalidade histórica

Tito também foi um personagem importante na luta pelos direitos dos lutadores. O americano, que sempre pregou a criação de um sindicato a fim de proteger e garantir os direitos dos atletas, foi o primeiro a demonstrar publicamente sua insatisfação com a forma com que o UFC tratava os lutadores. Isso acabou gerando um forte desentendimento entre Tito Ortiz e Dana White, que rendeu até uma camiseta provocando o presidente da companhia na pesagem do UFC 84. Desentendimentos à parte, a verdade é que se hoje vemos o surgimento de diversas entidades com esse propósito, como a Mixed Martial Arts Athletes Association (MMAAA), muito se deve ao fato de Tito ter iniciado esse processo de conscientização dos atletas para essa questão há muitos anos atrás.

tito-ortiz-dana-is-my-bitch-ufc

A clássica camiseta “Dana is my bitch!” usada por Tito

Com um cartel de 19 vitórias e 12 derrotas, o Hall da Fama do UFC, que coleciona triunfos sobre grandes nomes do MMA como Evan Tanner, Wanderlei Silva e Vitor Belfort, se despede do esporte que ele ajudou a tornar popular e assim determina o fim de uma era.

Tito Ortiz é uma lenda, um ícone do MMA. Você pode amá-lo ou odiá-lo, mas nunca tratá-lo com indiferença ou negar o fato de que o atleta é um dos grandes responsáveis por tornar o MMA no esporte em que se tornou. Ortiz foi responsável por pavimentar o caminho para outros grandes nomes do esporte que hoje vemos no topo e merece o nosso respeito.

Como amante do MMA e fã declarado de Tito Ortiz, fica aqui o meu MUITO OBRIGADO!

#RNGD

Autor: Lucas Rodrigues

 

Os 15 melhores atletas fora do UFC

#15 – Megan Anderson (8-2)

megan-anderson

Megan Anderson (Invicta FC)

A australiana que estreou profissionalmente no MMA há apenas 3 anos já é vista por muitos como uma futura campeã do UFC em sua categoria. Megan, que na sexta-feira passada (14) conquistou o cinturão interino peso-pena do Invicta FC após nocautear Charmaine Tweet, é de fato tudo isso que os fãs e as mídias especializadas dizem e mais um pouco. Com uma excelente movimentação e a capacidade de finalizar lutas com apenas um golpe, Megan Anderson certamente já está no radar do UFC e deve ser contratada em breve pelo evento para figurar a recém-criada divisão peso-pena feminino.

#14 – Bruno “Korea” (7-1)

bruno-korea

Bruno “Korea” (Titan FC)

O atleta da TFT é um dos nomes mais promissores da categoria peso-mosca no mundo. Participante do TUF Brasil 4, onde chegou até as semifinais do reality, “Korea” teve curta passagem pelo UFC, lutando no UFC Fight Night 77 – Belfort x Henderson 3, onde se apresentou bem, mas acabou sendo derrotado por Matheus Nicolau. Após sair do UFC, Bruno “Korea” emplacou 3 vitórias seguidas, sendo a mais recente delas pelo Titan FC, derrotando o ex-desafiante da categoria Abdiel Velasquez por finalização. Frio, calculista e com uma excelente trocação, “Korea” tem tudo para voltar em breve ao maior evento de MMA do planeta.

#13 – Pat Curran (22-7)

pat-curran

Pat Curran (Bellator)

O ex-campeão peso-pena do Bellator não poderia ficar fora desta lista. Primo do veterano do WEC, Jeff Curran, Pat Curran é um dos melhores atletas da organização. Com mais de 30 lutas no cartel, “Paddy Mike” – como é apelidado -, é um atleta extremamente técnico e versátil. Explosivo e agressivo, Curran é capaz de nocautear o seu adversário com apenas um soco e são todas essas características que fazem dele um dos melhores lutadores fora do UFC.

#12 – Goiti Yamauchi (21-3)

goiti-yamauchi

Goiti Yamauchi (Bellator)

Com apenas 24 anos, o japonês radicado no Brasil é um dos nomes mais promissores dentro do esporte. Com um jogo de chão temido por todos os seus adversários – afinal, 17 de suas 21 vitórias vieram por finalização -, Yamauchi tem se destacado no Bellator, onde tem um excelente retrospecto de 7 vitórias e apenas 2 derrotas. Extremamente calmo, estratégico e técnico, Goiti Yamauchi é sem dúvida um nome que veremos em breve figurando o plantel de atletas do UFC.

#11 – Andrey Koreshkov (19-2)

andrey-koreshkov

Andrey Koreshkov (Bellator)

Bicampeão do torneio dos meio-médios do Bellator e ex-campeão da categoria, Andrey Koreshkov é um dos principais nomes da divisão no evento. Apesar das 19 vitórias em seu cartel fazerem parecer o contrário, “Spartan” não tem tido vida fácil e vem enfrentando os adversários mais duros da divisão, como por exemplo, o ex-campeão do UFC, Ben Henderson, contra quem ele defendeu o seu cinturão. Após derrotar o ex-UFC por decisão unânime em uma luta onde Koreshkov dominou do início ao fim, ele acabou perdendo o cinturão na defesa seguinte, para o brasileiro Douglas Lima. Apesar da derrota, Andrey Koreshkov continua sendo um dos nomes mais promissores da categoria e tem tudo para chegar maior evento de MMA do mundo.

#10 – Daniel Straus (24-6)

daniel-straus

Daniel Straus (Bellator)

O norte-americano de Ohio representa a American Top Team e é o atual campeão peso-pena do Bellator. Daniel Mason-Straus derrotou adversários duríssimos na que é indiscutivelmente a melhor divisão do Bellator e isso o credencia para estar nesta lista. Completamente recuperado de cirurgia, após ter quebrado a mão esquerda na sua última luta, na qual ele conquistou o cinturão da categoria pela segunda vez após vencer Patrício “Pitbull”, Straus espera retornar ao cage ainda no primeiro semestre de 2017.

#9 – Bibiano Fernandes (20-3)

bibiano-fernandes

Bibiano Fernandes (ONE FC)

O manauara de 36 anos que já foi campeão do DREAM em duas categorias diferentes (peso galo e peso pena) e atualmente detém o cinturão peso galo do ONE FC é sem dúvidas dos atletas mais duros da divisão em todo o mundo. Sem perder desde de 2011, vindo de uma sequência impressionante de 12 vitórias seguidas, “The Flash” é um excelente atleta, que traria problemas para qualquer top 10 dos galos no UFC.

#8 – Douglas Lima (28-6)

douglas-lima

Douglas Lima (Bellator)

Atual campeão meio-médio do Bellator, Douglas “The Phenom” Lima é definitivamente um dos lutadores mais empolgantes de se assistir lutar. Dono de um Muay Thai afiadíssimo, o goiano costuma castigar os adversários com os seus low kicks, além de possuir uma mão muito pesada. Douglas Lima é sem dúvida um dos lutadores mais talentosos da atualidade e merece toda a nossa atenção.

 

#7 – Vitaly Minakov (18-0)

vitaly-minakov

Vitaly Minakov (EFN)

Nascido na cidade de Briansk (Rússia), Vitaly fez sua estreia profissional no MMA em novembro de 2011 e desde então desconhece a derrota. 4 vezes campeão mundial de Sambo, Minakov é um atleta extremamente versátil e suas vitórias comprovam isso. Com 9 vitórias por nocaute/nocaute técnico e outras 7 por finalização, o russo mostra que pode ser extremamente perigoso tanto em pé, quanto no chão. Completo, Vitaly Minakov é um bom nome para agitar a categoria dos pesos-pesados no UFC.

 

#6 – Dudu Dantas (19-4)

dudu-dantas

Dudu Dantas (Bellator)

O atleta da Nova União é um daqueles atletas que os fãs se perguntam o motivo dele ainda não estar no UFC. O detentor do cinturão peso-galo do Bellator é um lutador completo. E por ser um lutador completo, o seu estilo de luta costuma dificultar a vida de quem o enfrenta, fazendo com que os seus adversários encontrem grande dificuldade em impôr o seu jogo. Vindo de 3 vitórias seguidas, todas contra adversários duríssimos, Dudu Dantas mostra que está preparado para chegar ao UFC e bater de frente com os melhores do mundo na categoria.

 

#5 – Michael Page (12-0)

michael-page

Michael Page (Bellator)

Se existe um lutador o qual todos os fãs querem ver no UFC, esse cara é Michael “Venom” Page. O britânico de 29 anos está invicto no MMA com 12 vitórias – 7 delas por nocaute/nocaute técnico – e reúne todas as características necessárias para fazer sucesso na maior organização de MMA do planeta. Além de ser um atleta extremamente técnico e que chama atenção dos fãs pelo seu estilo de luta vistoso, com golpes plásticos e precisos – que lhe renderam até comparações a Anderson Silva -, “MVP” também é um atleta que sabe se promover fora do octagon e, como todos sabemos, este é um fator de extrema importância para os chefões do UFC, às vezes mais importante que os próprios resultados do atleta. Sorte de Michael Page que possui esses dois requisitos. Acreditamos que a sua ida para o UFC ocorra ainda neste ano de 2017.

#4 – Michael Chandler (16-3)

michael-chandler

Michael Chandler (Bellator)

Um dos melhores lutadores do mundo em sua categoria, Michael Chandler é especialista em fazer lutas empolgantes. Se existe alguém que discorda do fato de que Michael Chandler merece uma chance na maior organização de MMA do mundo, existem as duas batalhas épicas travadas contra o ex-campeão peso-leve Eddie Alvarez – onde Chandler venceu a primeira por finalização e foi derrotado de forma controversa na segunda -, para convencer esta pessoa de que ela está completamente equivocada. Vindo de uma sequência de 4 vitórias – sobre nomes como Patricky “Pitbull” e Ben Henderson -, Michael Chandler é um atleta extremamente perigoso, que se for contratado pelo UFC, trará dor de cabeça para muita gente.

 

#3 – Justin Gaethje (17-0)

justin-gaethje

Justin Gaethje (WSOF)

“The Highlight” faz jus ao seu apelido e vem sendo um dos maiores destaques no cenário do MMA internacional. O atual campeão peso-leve do World Series Of Fighting (WSOF) de 28 anos possui um cartel invejável de 17 vitórias – 14 delas por nocaute/nocaute técnico – e nenhuma derrota. Dono de um poder de nocaute devastador, Justin Gaethje vem provando ser digno de estar no UFC e que tem totais condições de fazer frente a qualquer atleta do mundo na categoria.

#2 – Phil Davis (17-3)

phil-davis

Phil Davis (Bellator)

Após sua saída do UFC em 2015 – quando Davis era o sétimo colocado no ranking dos meio-pesados -, muitos acreditavam que “Mr. Wonderful” não iria conseguir manter o nível lutando em outra organização, mas não foi isso o que aconteceu. Desde que chegou no Bellator, Phil Davis soma vitórias e títulos. São 4 triunfos em 4 lutas, o título do GP dos meio-pesados e o cinturão linear da categoria. Sem entrar em discussão quanto a disparidade no nível técnico dos eventos, a verdade é que Davis se mantém como um dos melhores meio-pesados do mundo, mesmo fora do UFC.

 

#1 – Marlon Moraes (18-4)

marlon-moraes

Marlon Moraes (WSOF)

O atual campeão peso-galo do World Series Of Fighting (WSOF) é sem dúvidas o melhor lutador fora do UFC na nossa opinião. Vindo de uma sequência incrível de 13 vitórias consecutivas – as 5 últimas, defendendo cinturão da organização -, o brasileiro vem mostrando que merece uma chance no maior evento de artes marciais mistas do mundo e que o seu acerto com o UFC é questão de tempo.

(Bônus) Menções honrosas:

Ben Askren (One FC), Daniel Weichel (Bellator), Joe Warren (Bellator), Leandro Higo (LFA), Liam McGeary (Bellator), Mamed Khalidov (KSW) e Patricky “Pitbull” (Bellator)

E aí, curtiu a lista? Faltou alguém?
Deixe sua opinião nos comentários! O seu feedback é essencial!
#RNGD

Autores: Lucas Rodrigues e Léo Frias